Arquivo do blog

quarta-feira, 29 de março de 2017

Poema para mim mesmo


Escreve seus rumos
com a tinta e a poeira dos dias,
suas palavras
são pequenos passos na caminhada do tempo
Seus silêncios vêm do mar, dele
recebe também seu sentido e segue
sendo
viajante e caminho.

Em algum momento
uma nova estrada o chamará novamente
e todas as montanhas, todas
as praias, todas as ruas serão em seus olhos 
mais serenos.

Talvez compreenda
o que agora não alcança
em seu pequeno entendimento
Quem sabe 
alguns de seus poemas
ficarão em alguém por mais um tempo ainda
depois que suas mãos escreverem 
outros silêncios na terra
mais plenos e
integrados a todos os seres

Talvez seus pensamentos
sejam ainda uma vez 
um voo livre na imensidão dos ventos
como um olhar do alto de uma montanha ou 
dentro do mar 

que tanto atrai seu existir 
seu fôlego seu movimento

Que o seu último poema
aconteça da forma mais simples
como um leve sol varando a madrugada
Que ele seja
um silencio pacificado
perante tudo aquilo que não compreende
um instante antes
de irmanar-se inteiramente
ao tempo

sexta-feira, 10 de março de 2017





Semillas de sol

Lanza sus semillas en el sol,
sus ojos al mundo
como los que llegan todos los días
por primera vez en este lugar ...


Aquí está su camino, aquí
es tu voz
tejiendo no sólo palabras...
pero horizontes
y ríos
le llevarán a su silencio,
el silencio de todas las cosas
hermanada en su nombre.


Una hora sus propios gestos
 te enseñarán el tiempo
y ya serás más libre
y ya serás más simples
mucho más que sus años
 imaginaron.


Lanza tu corazón en el camino
y cosecha el curso
con las manos saludables,
pues ellas es que sembrarán 
su mundo